Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

RESENHA - NURION STARBRINGER - O ALVORECER DO MAGO PÚRPURA


Título: Nurion Starbringer - O Alvorecer do Mago Púrpura #1
                                                      
Autor: Rodrigo Leite Gomide
                                      
Editora: Independente

Ano de publicação: 2015

Páginas: 433

ISBN: 9781311601094

Nota: 03/05


“Não importa o planeta, onde quer que exista uma sociedade humana, sempre haverá diferenciação entre as pessoas”

Um livro que mistura ciência, tecnologia, magia e muita fantasia. Esses são os principais elementos da cativante história de Nurion Starbringer.
A história se inicia quando dois jovens amigos de grande poder intelectual, Mathew Lorn e Anthony Zulks, ou simplesmente Matt e Tony, estão prestes a colocar em prática um plano estudado por ambos durante muito tempo e após muita dedicação e trabalho. Esse plano consiste na ideia de criar, com o uso de um acelerador de partículas, uma supertecnologia que permita que magias (daquelas que estamos acostumados a ler em tantos livros) sejam realizadas pela simples ação do pensamento. Isso mesmo!

Matt é um estudante excepcional de Física do Instituto de Tecnologia de Massachusetts de mente aberta às infinitas possibilidades, e Tony um estudante de mecatrônica avançada, com uma mente privilegiada e repleta de criatividade. O conhecimento de ambos possibilita que esse projeto tenha muito sucesso, mas o que eles não esperavam era que o poder desse projeto os levasse para outro planeta totalmente desconhecido pela humanidade.
Após o alinhamento de tudo que eles haviam previsto, tanto no sistema solar quanto em seu sistema tecnológico, um grande clarão acontece e os teletransporta para um planeta chamado Lafendel. Nesse mundo diferente, porém muito parecido com a Terra, eles conhecem Hillor e Boh, seguidores de Delthion, um dos deuses daquele planeta.
Hillor é conhecedor da profecia de Delthion e leva seu amigo Boh ao lugar onde Matt e Tony surgem pra lhes dar as boas vindas e a notícia de que Matt é o Nurion Starbringer, o enviado de Delthion que trará a esperança a Lafendel. Os quatro tornam-se bons amigos e assim aprendem coisas de ambos os planetas mutuamente.

         Matt, o novo Starbringer, é destinado a obter poderes inigualáveis para salvar o povo de Lafendel dos bruxos negros que habitam vários reinos e trazem a violência e morte como cartão de visita. Para que a profecia seja cumprida, Matt ganha superpoderes através de seu projeto executado com Tony, que também é agraciado com grandes poderes, mas que não chegam perto do poder de Starbringer. Além dos poderes adquiridos pelo seu projeto, Matt ganha mais força cedida por Delthion.
Com suas novas habilidades, Matt e Tony ficam a par da guerra que está para acontecer entre os Magos de Delthion e os Bruxos Negros de Braghuri, reino onde estão os mais sanguinários bruxos. No primeiro ataque dos bruxos, Matt prova que é realmente o enviado de Delthion e os ataca com maestria e muita magia, algo que nem os próprios habitantes de Lafendel já tinham visto.

         Creio que por ser o primeiro volume da saga, o livro emiuça muitos diálogos e acontecimentos para deixar o leitor por dentro da ideia, o que torna a leitura um pouco cansativa e com poucas páginas de ação, algo que me lembrou do primeiro filme do “Senhor dos anéis”, que em minha opinião é um filme devagar. No entanto, achei o livro do Starbringer bem mais interessante do que esse filme. A continuação da saga com certeza vai nos trazer mais batalhas e muito mais ação, agora que Matt já está adaptado às suas novas habilidades.
O ponto forte do livro é a mistura entre a ciência e a tecnologia com as batalhas épicas de bruxos e magos, o que nos faz criar um mundo lúdico na mente, diferente do habitual. Fãs de RPG com certeza vão gostar de ler esse livro, pois as batalhas são feitas para esse tipo de jogo, e por que não um filme nesses moldes?

Já que estamos falando de uma obra nacional, a trilha sonora para acompanhar as aventuras de Nurion fica com a banda brasileira Shadowside. Os vocais melódicos femininos alinhados com os riffs rápidos e marcantes do bom e velho metal ajudam a embarcar na história, criando um cenário ao estilo medieval que o livro merece.


Conheça mais sobre o trabalho do autor em nurionstarbringer.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...