Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

Resenha: Condenada

Título: Condenada

Autor: Chuck Palahniuk

Editora: LeYa

Ano de publicação: 2013

Páginas: 304

ISBN: 9788580448207

Nota: 04/05


"A vida é curta. A morte é eterna."

Madison Spencer, uma garota gorda igual uma porca (segundo ela), com 13 anos de idade, que para a sua infelicidade, está morta e no Inferno. Ela acredita que sua morte foi simplesmente por overdose de maconha, o que é estranho, porque para alguém morrer de overdose de maconha é quase impossível. Ela está presa dentro de uma cela e não sabe exatamente o que vai acontecer com ela dali para frente. Ao lado da sua cela está Babette, uma garota muito bonita, líder de torcida que usa uma bolsa falsa da marca Coach e uma sandália branca também falsa da marca Manolo Blahnik.

Detalhe interessante no livro: todo inicio de capítulo, Madison sempre fala: “Está ai, Satã? Sou eu, Madison.” ela quer muito conhecer o famoso Satã, chamar sua atenção e sempre que toma alguma atitude que acha que possa interessar a ele, ela descreve no início do capítulo às vezes se desculpando por alguma coisa, o que no inferno não faz diferença, outras vezes demonstrando esperança, um sentimento que no Inferno não adianta nada você ter e às vezes, se sente orgulhosa por suas atitudes que faz questão de confidenciar sua alegria para Satã, mesmo ainda não conhecendo ele.

Quando era viva, Madison era filha de uma atriz hollywoodiana e seu pai era um bilionário. Sua família tinha mansões em vários lugares do mundo e sua mãe, controlava todas elas pelo computador, para passar o tempo e também para pregar peças em suas empregadas. A mãe de Madison trancava-as dentro do banheiro, mexia nas luzes, no ar condicionado só por diversão. Seus pais não tinham religião, ora eram Hippies, ora Rasta, antigos anarquistas e eram liberais, tanto é que, a maconha que Madison afirma ter a matado, foi dada pelo seu pai.

Para manter a fama de serem pessoas boas, sempre que ia sair um filme novo da atriz hollywoodiana, eles adotavam uma criança para chamar atenção. Mas eles não cuidavam dessas crianças, era apenas marketing.  Depois de um tempo após apresentar a mídia sua nova filha ou filho adotado, eles eram enviados para colégios internos e não tinham o menor acesso a vida pessoal deles. Inclusive Madison, ela vivia em um colégio interno e chegou até a passar um Natal no local sozinha.

Madison é bem clara sobre como o inferno é horrível.  O cheiro de coco, a sujeira por todo lado, onde é principalmente notável nas grades das celas uma gosma preta na qual Madison evita tocar depois da orientação de Babette e muitos doces jogados pelo chão, fora que, vamos aos poucos descobrindo que muitas coisas que os seres humanos descartam aqui vão parar no inferno.

Por um momento Madison acha que avista Satã. Ela simplesmente começa a gritar, tentando de todas as formas chamar sua atenção para a sua cela, mas o suposto Satã está mais preocupado em escolher sua vítima. Isso mesmo, vítima! Todos que estão no inferno ficam a disposição dos demônios que de vez em quando decidem comer todos os seus membros, mas não se preocupe, depois da dor horrível que você vai sentir, seu corpo vai se recompor novamente, para que em breve, seja devorado de novo por algum demônio. Em uma cela próxima Leonard, explica a Madison que na verdade aquele não era Satã e sim outro demônio. Como um bom nerd, ele começa a dar uma bela explicação sobre o demônio que estava ali e é cortado por Patterson, o jogador de futebol que foi comido pelo demônio há pouco. Os três ficam conversando e depois de já estar com seu corpo todo reconstituído de pele novamente, Patterson repara em Babette e não tira os olhos dela, mas ela não está nem ai, só liga para continuar se olhando no espelho e para retocar sua maquiagem, que, aliás, ela usa AVON, meu bem! Enquanto os dois ficam tentando chamar a atenção de Babette, Madison tenta se distrair com outras coisas e é nesse momento que vê em outra cela um adolescente com uma jaqueta de couro, com um alfinete espetado na bochecha e com um moicano azul.

”A morte é um longo processo. Seu corpo é só a primeira parte de você que acaba.

O jovem punk chamado Archer começa a usar o alfinete que estava preso na sua bochecha para tentar abrir sua cela até que, enfim consegue e se dirige até a cela de Madison e dos outros. Neste momento Madison, que já não está aguentando mais olhar para Babette e para os outros dois que estão vidrados nela, fica surpresa ao ver o menino punk abrindo sua cela. Patterson, Archer e Babette decidem sair de suas celas e ir explorar o Inferno. Leonard recua por ter medo de ser pego por algum demônio e é lógico, todos zoam muito o nosso querido CDF, já Madison nem se manifesta, apenas corre atrás deles quando percebe que vai acabar ficando ali sozinha.

Os cinco partem de suas celas em direção ao desconhecido Inferno, pelo menos para Madison é. Eles passam por lugares com descrições bem engraças, nas quais a maioria das vezes são restos de partes humanas, como por exemplo: O deserto de Caspa, O grande oceano de esperma desperdiçado (isso mesmo), O mar de insetos, o Deserto de unhas. Eis que surge a primeira batalha, digamos assim, do grupo e Leonnard grita a todos para mergulhar e escavar um esconderijo no meio das montanhas de unhas mortas. Mesmo tentando se esconder no meio das unhas mortas, Madison é pega pelo demônio fêmea cujo nome é Psezpolnica – a mulher tornado do meio-dia segundo os sérvios -, mas nossa heroína da história, para conseguir vencer a batalha e ainda conseguir uma aliada mesmo que por pouco tempo, encontra uma forma bem diferente de agradar o demônio fêmea sem causar tantos problemas ao grupo.

O confronto termina e todos pegam uma carona na mão da diaba e chegam até o prédio onde todos os que estão no inferno têm suas documentações guardadas. Aparentemente, os documentos de Madison foram perdidos e a menina vai ter que passar por uma entrevista para saber se realmente era para ela estar no inferno. O mais engraçado, é que para você conseguir comprar um demônio, basta você dar a ele muitos chocolates que você vai conseguir o que você quer bem mais rápido.

Madison começa a lembrar-se de seu último irmão adotado chamado Goran. Ela ficou extremamente impressionada com o garoto e apaixonada para completar. E foi no dia que sua mãe e seu pai foram participar de uma belíssima entrega de prêmios de cinema, que o grande desastre na vida de Madison acontece. Ela tinha feito grandes planos para aquela noite que ia ficar sozinha com seu novo irmão. Antes de seus pais saírem, o pai de Madison dá para ela um pacote com maconha e várias camisinhas da Hello Kitty para que ela aproveite sua noite. Depois de ficarem finalmente sozinhos, os dois começam a assistir o evento que sua mãe e seu pai estão participando. Como uma distração, Madison propõe que os dois brinquem do “Jogo do Malho” que aprendeu com suas supostas amigas no colégio interno. Goran aceita a brincadeira sem saber ao certo o que deve fazer é então que Madison explica exatamente o que fazer.

Aos poucos, Madison vai lembrando o que realmente aconteceu no dia da sua morte. Sua inocência, apesar de saber de muitas coisas, é grande demais. Ela é incentivada a se tornar algo que ela não era e com isso consegue arrumar muitos seguidores no inferno. Algo engraçado que o autor expõe no livro, é que quem vai para o Inferno tem duas opções: trabalhar com telemarketing ou trabalhar no ramo pornô. Madison com seu humor incrível, afirma que a maioria das ligações de telemarketing que recebemos aqui na terra, certeza que a maioria delas são feitas diretamente do inferno.

“Acredite em mim, a maioria do povo de telemarketing que liga para você está morta. Como grande parte de todos os modelos pornôs da internet.

A história tem muitos detalhes e situações engraçadas, Madison cada dia que passa se sente mais a vontade no inferno e encontra pessoas famosas, como por exemplo, Hitler. Como Madison morre de vontade encontrar Satã e saber quem ele é, ela acaba descobrindo sem querer que na verdade ela já o conhece e que, por causa dele, muitas coisas aconteceram. Foi um dos finais de livro mais engraçados e diferentes que eu já li na vida. Você nunca espera algo do tipo, você pensa em qualquer coisa, mas nunca em algo parecido. Fiquei bem surpresa e intrigada e quero muito ler “Maldita” que é a continuação da história de Madison e ver o que mais essa garota de 13 anos é capaz de fazer.

É uma história com um humor bem ácido, mas para quem gosta de histórias que saem bem do padrão, tenho certeza que vai gostar e muito de “Condenada”.

Oferta
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...