Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

Resenha - A Fúria dos Reis – As Crônicas de Gelo e Fogo


Título: A Fúria dos Reis – As Crônicas de Gelo e Fogo #02

Autor: George R. R. Martin

Editora: LeYa

Ano de publicação: 2011

Páginas: 656

ISBN: 9788580440270

Nota: 04/05



Valar Morghulis

A Fúria dos Reis é o segundo livro da aclamadíssima série As Crônicas de Gelo e Fogo. O segundo livro continua de onde o primeiro se encerrou, como será as coisas após os acontecimentos em A Guerra dos Tronos?

No céu de Westeros surge um misterioso cometa vermelho como sangue, deixando dúvidas sobre as pessoas, que criam algumas teorias sobre a aparição misteriosa desse fenômeno, assim como Cressen, miestre em Pedra do Dragão e conselheiro de Stannis Baratheon. Cressen nunca havia visto um cometa igual a esse.


Miestre Cressen tem quase oitenta anos de idade e tem bastante dificuldades para se locomover devido a fortes dores nos quadris. Desde a morte de Lorde Steffon Baratheon e sua esposa em um naufrágio, Cressen cuidou dos seus filhos ainda crianças, Stannis, Renly e do falecido Rei Robert. Cressen se sente incomodado com a presença de uma misteriosa mulher vestida dos pés a cabeça toda de vermelho que está a serviço de Stannis. Conhecida como “Sacerdotisa Vermelha”, a Senhora Melissandre de Asshai tem uma fé não muito seguida em Westeros, conhecida como Senhor da Luz.

Após a morte de Robert Baratheon, seus outros dois irmãos, Stannis e Renly se autoproclamaram Rei de Westeros. Stannis reúne forças em Pedra do Dragão com o mesmo objetivo do seu irmão, só que sua tropa é muito pequena para conseguir tal feito. Já Renly, que se casou com a jovem Margaery Tyrell, conseguiu com isso, grandes aliados a sua causa e pretendem rumar contra Porto Real e tomar o Trono de Ferro de Joffrey, contrariando o seu irmão mais velho, que de acordo com as regras, Stannis seria o primeiro na linha de sucessão de sua casa já que é mais velho que Renly, e Robert, segundo dizem, não deixou filhos legítimos.

Com dificuldades de conseguir mais aliados, miestre Cressen aconselha Stannis a se aliar com Robb Stark ou com Lysa Arryn, mas Stannis rejeita o conselho do miestre, e segue o conselho de Melisandre, que teve uma visão de que Renly morreria em breve se Stannis renunciasse a fé dos Sete Reinos e se juntasse ao Senhor da Luz. Que é o que ele faz.

Após romper com o Trono de Ferro, Robb Stark agora é Senhor do Norte, um título reavivado pelos Starks após a morte de Eddard Stark. Robb está em Correrrio traçando estratégias contra os Lannister que mataram o seu pai e mantém suas irmãs reféns em Porto Real. Robb pretende fazer um acordo de paz com os Lannister em Porto Real, e por um fim a guerra entre eles. Uma das condições é liberar as irmãs Sansa e Arya, e Sansa não se casar mais com o Rei Joffrey. Robb tem o irmão da rainha e tio de Joffrey, Jaime Lannister como refém e não pretende libertar ele tão cedo. Como os Lannister não concordaram com as condições impostas por Robb e o seu exercito diminui cada vez mais, ele decide enviar Theon Greyjoy para negociar com o seu pai Balon Greyjoy em Pyke, para ajudar em sua causa e enviar sua mãe para negociar uma aliança com Renly Baratheon no sul.

Em Porto Real, Tyrion Lannister é nomeado pelo seu pai como Mão do Rei, o que enfurece a sua irmã Cersei, mas que depois aceita o irmão como principal conselheiro do seu filho e rei, mas ambos com aquela desconfiança mútua. Tyrion promete fazer justiça enquanto estiver como Mão do Rei, começando com o comando da Guarda da Cidade, quando afastou Janos Slynt e o enviou para a Muralha após descobrir que Janos aceitava subornos. Tyrion descobriu que Porto Real tem mais traidores do que imaginava, ele decidiu se aliar a Varys e, posteriormente arrumou um casamento de sua sobrinha, a princesa Myrcella com Trystanne Martell com o objetivo de conseguir apoio de Dorme.

Theon Greyjoy foi enviado por Robb para tratar com o seu pai a fim de conseguir ajuda e navios para enfrentar a guerra. Porém, Balon Greyjoy desdenha do seu filho que ficou dez anos como refém dos Starks e não se parece nada com um legítimo Greyjoy, o que deixa Theon irritado, ainda mais que a sua irmã mais velha, Asha, tem mais poder do que ele em Pyke. Balon decide não aceitar a proposta de Robb e deseja fazer uma rebelião contra o Norte.

“O medo corta mais profundamente do que as espadas.”

As irmãs Arya e Sansa vivem situações distintas. Arya fugiu de Porto Real com a ajuda de Yoren, recrutador da Patrulha da Noite. Ele corta o cabelo de Arya e faz ela se parecer como um menino e ser chamada de Arry para não gerar desconfiança de outros rapazes que estão indo para a Muralha. Durante o caminho para o Norte, o grupo de Yoren é atacado e a maioria das pessoas do seu grupo são mortas, Arya consegue salvar a vida de três pessoas que estavam sendo transportadas acorrentadas durante esse ataque, uma dessas pessoas é Jaqen H’ghar, que mais adiante irá retribuir Arya por ter salvado a sua vida.

Já Sansa está em Porto Real, mas totalmente infeliz, pois Joffrey que antes era um príncipe, agora é um monstro. Além de ter ordenado a morte do seu pai, Eddard Stark, Joffrey pede para que os seus guardas a espanquem e a humilhem com certa frequência.

Bran que ainda não sente as pernas, agora é príncipe de Winterfell na ausência de Robb. Bran tem sonhos em que está na pele de Verão, o seu lobo. Posteriormente, Bran conhece Jojen e sua irmã Meera Reed, que chegam à Winterfell a mando de seu pai, para darem apoio dos Reed aos Starks. Mais tarde, é revelado que Jojen o dom de Visão Verde, que seria uma forma prever o futuro através de sonhos.

Jon Snow está em uma expedição além da Muralha junto com outros patrulheiros para investigarem o que aconteceu com a patrulha de seu tio Bejen Stark que está desaparecida. Durante a expedição, há rumores de que os selvagens que estão para lá da muralha, têm planos de marchar e derrubar a Muralha protegida pela Patrulha da Noite.

Por fim, Daenerys Targaryen junto com os seus recém-nascidos dragões e seu pequeno khalasar estão sem rumo no deserto. Eles decidem seguir em direção apontada pelo cometa vermelho que cruza o céu até que encontram uma cidade totalmente abandonada, Dany ordena que seus cavaleiros procurem alguma outra cidade próxima enquanto os demais recuperam as energias.

“Aquele que se apressa na vida apressa-se a chegar à sepultura.”

Até aqui, estaria tudo tranquilo, mas as coisas tomaram outros rumos. Stannis seguiu a direção do sul até o local onde o seu irmão mais novo está acampado para seguir viagem para o norte, ele quer que Renly deixe de se proclamar rei, mas este rejeita o pedido do irmão mais velho e decidem travar uma batalha na próxima alvorada, mas algo sombrio acontece antes que determinará grandes partes dos acontecimentos nesse livro.

A Fúria dos Reis é tão bom quanto o primeiro livro, porém alguns personagens PDVs têm intervalos de até cem páginas para aparecem e às vezes dificulta o entendimento das coisas. Robb que agora é Senhor do Norte, poderia ter mais destaque nesse livro, pois ele só aparece quando Catelyn está no mesmo local que ele, no mais só se houve boatos de que ele venceu algumas batalhas e mais nada.

“Tyrion fala que as pessoas dizem frequentemente ter fome de verdade, mas raramente gostam do sabor quando ela lhes é servida.”

Nesse livro, vale o destaque para Tyrion Lannister, o personagem que mais apareceu nesse livro e não decepcionou, sendo, para mim, o personagem com quem eu mais me identifiquei. Desde antes do início da guerra, Tyrion já preparava a cidade para que quando a guerra acontecesse, as baixas não fossem tantas, além da sua estratégia e coragem em batalha, diferente do seu sobrinho e Rei.
Daenerys pouco avançou, os seus capítulos bem que poderiam ser encurtados, pois pouco se viu neles.

Theon que pouco se viu dele no primeiro livro, é um dos principais personagens desse livro. Depois de retornar para a sua terra natal, Theon se sentiu inferior em relação a sua irmã. Seus ciúmes com Asha faz com que ele tome decisões sem pensar, decisões essas que podem trazer grandes consequências em toda Westeros.


Arya também merece destaque, é incrível como uma menina com tão pouca idade consegue passar despercebida, além de ter uma maturidade que muitos adultos não possuem, conseguir se adaptar em qualquer tipo de situação e fazer amizades com pessoas que lhe tragam benefícios.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...