Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

Resenha: A Maldição do vencedor

Título: A maldição do vencedor (trilogia do vencedor #1)

Autor: Marie Rutkoski

Editora: Plataforma21

Ano de publicação: 2016

Páginas: 328

ISBN: 9788576839712

Nota: 05/05

Livro cedido pela Plataforma21


“A felicidade depende de ser livre”, o pai de Kestrel sempre dizia “e a liberdade depende de ter coragem”.

Confesso que, quando vi este livro, me apaixonei pela capa dele. Fiquei curiosa para entender um pouco mais sobre a história, porque ainda não tinha lido nenhuma resenha, somente a sinopse do livro. Quando comecei a ler, fui me empolgando aos poucos com a história. Já pensou, ter que escolher entre o amor e a razão? O que você faria? Estaria diposto(a) a abrir mão da sua felicidade para um bem maior?

Conhecemos Kestrel, uma garota de 17 anos filha de um general, homem de confiança do Imperador de Valoria. A cidade em que Kestrel mora atualmente, foi consquitada pelos Valorianos há 10 anos atrás. O povo que vivia ali antes, foram escravizados pelos Valorianos. Os Herrans, eram os donos daquelas terras,  e não aceitam terem sido conquistados,  mas não há nada que eles possam fazer a respeito, pelo menos, por enquanto.

A história começa quando Kestrel está no mercado da cidade jogando Morder e Picar junto com os marinheiros, sentada em um caixote. Morder e Picar, é um jogo de cartas e Kestrel era muito boa. Ela preferia jogar com homens comuns do que com pessoas da alta sociedade, pois, as pessoas comuns tentavam trapassear para dificultar as coisas para ela. Já homens ricos, não gostavam de perder, principalmente para ela que era mulher. Alguns levavam suas perdas para o lado pessoal, o que Kestrel não conseguia entender.

Kestrel sabia que já tinha passado muito tempo jogando, então decidiu ir atrás de Jess sua amiga. Quando as duas se encontram e decidem ir embora é então que Jess pede para amiga fechar olhos porque vai lhe fazer uma surpresa, mas Jess acaba se distraindo e as duas são arrastadas por uma densa multidão para o mercado de escravos, onde aconteciam os leilões.

Quando Kestrel abre os olhos, dá de cara com um fosso onde os escravos ficam expostos para serem vendidos. As duas até tentam sair dali, mas estão presas pela multidão e vão ter que ficar até o fim do leilão. É então que o leiloeiro entra para começar as apresentações dos escravos disponíveis para venda. As pessoas que estão presentes, estão interessadas em comprar uma escrava mulher, mas o leiloeiro começa a falar sobre um jovem escravo de apenas 19 anos que tem habilidades especiais, bom para trabalhar dentro de casa fazendo os Valorianos presentes rirem. Kestrel não está muito interessada e deseja ir embora, mas o leiloeiro diz algo que desperta sua atenção quanto ao escravo, ele havia sido treinado para ser um ferreiro, o que para a casa dela seria perfeito e então começam os lances para comprar o escravo.

Kestrel fica paralisada, parece estar passando mal o que desperta a preocupação de sua amiga, mas é ai que o leiloeiro diz um talento bem dificil de se encontrar em um escravo: ele cantava. Então, o leiloeiro pede para o escravo cantar e ele se recusa. A expressão do escravo parece comover Kestrel que levanta sua mão e dá seu primeiro lance. No fim, depois de vários lances, Kestrel leva o escravo por 50 pilares. Um valor considerado alto para comprar um escravo. Na verdade, a moça não estava comprando um escravo qualquer. Ela sabia que havia algo diferente naquele homem, a maneira que ele olhava para as outras pessoas com indiferença e desprezo. Não sabia o que exatamente tinha chamado tanto sua atenção, mas acreditava que seu pai não iria se importar por ela ter comprado um escravo ferreiro e que também cantava.

Então, ela houve um comentário de uma das mulheres que estava ao seu lado, dizendo que ela estava sofrendo da maldição do vencedor. O que isso significava? Kestrel nunca tinha participado de um leilão antes, foi a primeira vez e última acreditava ela, e então a mulher explica. A maldição do vencedor é quando a pessoa vence as ofertas de compra, mas só pagando um valor considerado exorbitante. Isso é uma expressão que se aplica também às pessoas que trabalham no mercado financeiro. Achei bem interessante esta informação que você encontra na “Nota da Autora” no final do livro.


“Você não frequenta leilões não é? A maldição do vencedor é quando você vence as ofertas, mas só pagando um preço exorbitante.”

Enfim, Kestrel comprou um escravo, mas não sabia o que fazer com ele. Quando ela apareceu com ele em sua casa, sabia que seu nome era Smith, mas depois descobriu através de uma das escravas, que ele se chamava Arin. O leiloeiro havia dito que ele cantava, mas ela não tinha tanta certeza se isso era verdade. Kestrel tinha um talento incrível para tocar piano e ter um escravo cantor seria perfeito para acompanhar suas músicas. Seu dom era algo que incomodava muito seu pai. Ele queria que ela se dedicasse nos treinamentos dela, queria que finalmente ela se alistasse no exército, mas nada disso se encaixava no que Kestrel realmente queria. Na verdade, nem ela sabia o que realmente queria.

Com esse impasse, ela decide usar o seu escravo como acompanhante nas festas, quando precisava ir até a cidade levava ele junto, além da responsabilidade atribuida pelo seu mordomo para produzir armas para o exército de seu pai. Até que, em uma festa, Arin que estava como seu acompanhante, vê Kestrel jogando Morder e Picar com outros nobres da festa e fica a observando. E então, Kestrel acaba descobrindo que ele sabe jogar e muito bem.

Dessa forma, os dois começam a criar um vínculo. Arin acaba conseguindo várias regalias com Kestrel, como por exemplo: se torna um escravo de casa, autorização para ir a cidade sem ela e até mesmo intimidade suficiente para dizer verdades para Kestrel, que se fosse outra pessoa no lugar dela, não aceitaria de forma nenhuma.

Sinceramente eu gostei muito da personalidade de Kestrel. Ela era muito indecisa, sim, mas me desculpem, com 17 anos, quem ia gostar de ter que decidir o destino de sua vida, sem ter chances de voltar atrás caso não fosse mesmo isso o que gostaria de fazer?

Ela acabou confiando demais na pessoa errada? Sim! Quem nunca passou por isso? Considerei certa ingenuidade da parte de Kestrel, com certeza, mas para alguém que não tinha nenhum motivo para desconfiar da pessoa, não tinha como saber que certas coisas não deviam ser faladas. Mesmo depois de ter feito um acordo com seu pai, de ter um tempo estabelecido para decidir o que ia fazer de sua vida e de começar a ter aulas de estratégia com ele, Kestrel não teve tempo suficiente para ver que seu inimigo mais perigoso estava ao seu lado.


“Os sentimentos de Kestrel eram como bandeiras estalando sob uma tempestade, se enroscando e se retorcendo em volta dela.”

Eu queria muito que Kestrel desse uma chance para Ronan o irmão de Jess. Ele me pareceu ser um cara incrível, e os dois já se conheciam a muito tempo, mas percebi que na verdade, ela o via apenas como um amigo e não queria deixá-lo decepcionado. 


Só sei que, acontece uma revira volta incrível, e a história fica carregada de emoções. Me surpreendi bastante com os acontecimento e de como Kestrel evoluiu no decorrer do livro. Para ajudar os leitores na localização das cidades, nas primeiras páginas, o livro tem um mapa que ajuda na compreensão. Como a história tem continuação, eu achei o final muito bom, mas deu uma boa margem para especulações para o próximo livro.

Onde comprar? Compre aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...