Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

RESENHA - INFERNO



Título: Inferno

Autor: Dan Brown

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2013

Páginas: 443

ISBN: 9781400079155

Nota: 05/05


   

             “As decisões do passado são os arquitetos do presente.

     Robert Langdon mais uma vez mostra que seus conhecimentos de simbologia e história da arte e até história mundial são cruciais para a salvação da humanidade.

    A trama se inicia com nosso professor acordando em um quarto hospitalar sem saber como foi parar lá com um ferimento na cabeça, sem memória, fora de seu país e o pior de tudo: sem o seu relógio de colecionador do Mickey Mouse! Ao olhar para fora com sua visão turva devido aos medicamentos ele percebe que está em Florença, na Itália, porém sua última memória lhe garante que ele estava em Harvard e não na Europa.
     Sua única esperança é uma jovem médica loira que entra no quarto para avaliar seu estado clínico. Sienna começa a examiná-lo e a conversar sobre como ele foi parar lá, mas antes que a explicação tenha algum sentido, Langdon é testemunha de um assassinato de um médico naquele mesmo quarto. Sienna e o professor fogem dali e são perseguidos pelas ruas de Florença em meio a tiros. Começa então a aventura de Robert Langdon e sua mais nova parceira.

    Antes de se aprofundar mais sobre a aventura de Langdon, Dan Brown nos leva ao mundo de Bertrand Zobrist, um cientista de inteligência ímpar e muito à frente de seus colegas de profissão. Zobrist acredita piamente que a humanidade está à beira de um colapso e que alguma atitude precisa ser tomada antes de entrarmos em extinção. Com essa crença ele procura a diretora da OMS (Organização Mundial da Saúde) a fim de dialogar sobre o assunto, porém suas ideias são bastante radicais aos olhos da diretora Elizabeth Sinskey, e essa conversa não rende muita coisa e ele faz uma ameaça vendada à diretora que mantém todas as autoridades de olho naquele homem.
    Preocupado em obter resultados imediatos, Zobrist procura uma organização secreta, o Consórcio, para lhe proporcionar tudo o que for necessário para que ele faça seu trabalho sem ser incomodado por ninguém, inclusive a diretora da OMS. Entretanto, mesmo com o Consórcio mantendo sua identidade e localização às escondidas, Zorbrist é descoberto pela OMS que o persegue até o momento em que ele sobe em um prédio e se joga para seu eterno descanso, levando consigo o segredo de sua mais recente criação, o Inferno, mas deixando pistas enigmáticas envolvendo a obra mais famosa de Dante Alighieri, “A Divina Comédia”.

La Mappa dell'Inferno - O Mapa do Inferno de Botticelli.
    Robert e Sienna conseguem escapar do hospital sem ferimentos e acabam descobrindo o motivo dessa perseguição: um artefato está em posse do professor sem ele saber do que se trata. Esse artefato é um dispositivo que foi deixado em suas mãos antes da perda de sua memória e é na verdade um projetor a laser que contém a imagem do “Mapa do Inferno”, de Sandro Botticelli, uma obra que deu vida ao Inferno criado por Dante Alighieri. 
    Dentro desse mapa, Langdon percebe que existem pequenas modificações e alguma mensagem a serem decifradas. É aí que ele percebe que o dispositivo foi deixado com ele para que ele decifrasse esse mapa, pois seu conhecimento em Dante Alighieri e tudo o que é relacionado ao Inferno de Dante é de grande fartura.
     Com a ajuda de Sienna, que ele acaba descobrindo que é de QI superior a qualquer pessoa normal, ele sai em busca de respostas sobre o enigma do mapa e o porquê de estar ali. 
    Enquanto Robert e Sienna estão em fuga e em busca de respostas, o tempo está correndo e os planos de Zorbrist, que são muito piores do que qualquer um poderia imaginar, estão quase se solidificando.
    Robert em sua inocência e paixão pelos símbolos e história da arte, não percebe que nem tudo aquilo que estão lhe dizendo é verdade e que o preço a se pagar por essa inocência pode lhe custar a própria vida.

     Com um enredo repleto de referências históricas da arte, Dan Brown nos coloca diante de um ritmo frenético e nos bombardeia com amplo conhecimento de artes clássicas de artistas italianos. Passando por Florença, Veneza e Istambul, podemos vislumbrar um mundo fantástico sem sair do lugar com a ajuda do Google, pois de verdade, são muitos lugares citados por Dan Brown.
    Com certeza foi mais um livro ousado e muito bem escrito por Dan Brown. Sem dúvida uma grande ideia transcrita para que possamos refletir, filosofar, seja lá o que for, mas o que é certo é que esse livro faz qualquer um abrir a mente para possibilidades.

     Inferno foi um livro que trouxe muita alegria para mim, pois depois que li “O Símbolo Perdido” achei que Dan Brown poderia estar caindo de produtividade porque foi um livro que achei bem ruinzinho, diferente dos demais que são todos perfeitos. Entretanto, para minha felicidade Dan Brown voltou arrasador.
     É um livro importante também, pois foi com ele que nosso amigo Marcelo entrou no mundo da leitura e agora não larga mais...
    Tive que reler essa obra magnífica para assistir ao filme que estreou semana passada, mesmo sabendo que ele não vai fazer jus ao livro, o que é normal, pois fazer jus aos livros do Dan Brown não é pra qualquer um.

     Para essa leitura infernal, nada mais apropriado que um som infernal. Fiquem com Capadócia, uma banda totalmente nacional e fera demais!

     Assistam ao trailer do filme e não deixem de ler antes de assistir:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...