Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

Resenha: A Rainha de Tearling

Título: A Rainha de Tearling

Autores: Erika Johansen

Editora: Suma de Letras

Ano de publicação: 2017

Páginas: 352

ISBN: 9788556510280

Nota: 05/05


“Nenhum soberano deteve o poder por muito tempo sem o respeito de seus governados – disse Carlin incontáveis vezes. – Soberanos que tentam controlar uma população descontente não governam nada e terminam com a cabeça na ponta de uma lança.”

Meu primeiro contato com esse livro foi quando eu recebi a caixa do Turista Literário e me deparei com ele dentro. Eu não conhecia o livro, mas a capa já chamou muito a minha atenção. Tenho certeza que muitos leitores acabam lendo muitos livros por causa da capa, mesmo sem ter lido sinopse ainda. Eu tenho essa mania.

Assim que Elyssa, mãe de Kelsea morre, a garota é levada do palácio para morar em uma cabana no meio da floresta sem a influência da realeza na sua vida e bem longe das confusões e encrencas políticas do reino. Ao completar dezenoves anos, é chegada a hora da garota tomar o que é seu por direito e de se tornar finalmente a Rainha de Tearling ou Rainha Tear.

Kelsea nunca entendeu exatamente os motivos de sua mãe ter a “abandonado” para ser criada por seus pais de criação Barty e Carlin. Os dois dedicaram suas vidas para ensinar a garota sobre história, como manipular um punhal e como andar em um cavalo. Mas, algo que Kelsea amava mesmo fazer era ler histórias. Sempre que a garota se comportava e fazia o que Carlin queria, ela poderia ler até tarde. Carlin era considerada por Kelsea como uma carrasca e a garota não entendia o por que de tanta severidade. A garota chegava até a pensar que Carlin não a amava, mas com o tempo, a nova Rainha Tear entenderá os motivos para ela agir assim.

Os guardas que chegam até a cabana para buscar Kelsea são fiéis à antiga rainha Elyssa mãe de Kelsea, e não se aliaram ao Regente tio da garota que foi quem assumiu o trono após a morte da antiga rainha, além disso, ele está atrás da garota para matá-la e impedi-la de assumir o trono. Para terem certeza se é mesmo a garota que procuram, os guardas exigem que Kelse mostre sua cicatriz no braço e a safira pendurada no pescoço que seus pais de criação nunca a deixam tirar. E então, eles se dão conta que ali, diante deles estava a Rainha Marcada que todos tanto procuravam.

O caminho até o reino Tear foi árduo e demorado. Depois de sofrer tentativas de assassinato e de enfrentar muitas horas a cavalo, a tropa acaba descobrindo que os Caden estão atrás deles. Clava é designado para cuidar e fazer de tudo para que Kelsea chegue até o reino em segurança. Toda a tropa se separa e uma grande caçada e fuga se inicia. Todos sabem que os Caden não são de brincadeira, e que farão de tudo para cumprir o que lhes foi designado.

No meio dessa fuga desenfreada, Kelsea conhece pessoas que não sabe se pode confiar ou não, mas na dúvida acaba confiando. O coraçãozinho da nossa querida Rainha bate mais forte por um certo homem, mas ela sabe, nunca os dois teriam chances de ficarem juntos, até por que, ela não faz o tipo dele. A propósito, Kelsea é descrita como uma garota de uma beleza normal e o fato de ela se alimentar bem até demais, ela não era uma garota muito magra, bem diferente de sua mãe, que era aquelas rainhas que chamavam a atenção por onde passava. Mas isso não significa nada. O brilho interno de Kelsea é muito maior do que isso.

A personalidade dela é incrível, ela tem uma força dentro de si que por mais que tudo parece estar perdido, ela não desiste, segue em frente confiando que vai dar certo, confiando em seus aliados, confiando em sua tropa. A prova disso é quando ela chega até o castelo e já começa a colocar as coisas em ordem enfrentando o cara que seria o maior dos seus problemas dali para frente: Thorne.

Kelsea sabe que tem que conquistar toda a sua tropa e seu povo, para que dessa forma ela consiga reinar de forma justa. Mas o maior de seus problemas será a Rainha Vermelha que vive em Mortmesme.  Kelsea está disposta a acabar com o acordo que foi feito entre a Rainha Elyssa sua mãe e a Rainha Vermelha. O acordo consiste em enviar remessas mensais de escravos para Mortmesme de cidadãos Tear e isso para Kelsea é inaceitável. Se o preço era serem invadidos pelas tropas da Rainha Vermelha, Kelsea estava disposta a lutar contra isso com todas as suas forças. E a nova Rainha Tear sabe, todos esperaram muito tempo por ela, e Kelsea sabe que é a esperança de seu povo para que o sofrimento seja contido.

Esse livro é cheio de emoções e você se surpreende com o jeito que a Kelsea enfrenta os conflitos e se impõe diante de homens que estavam acostumados com rainhas que não estavam interessadas com as estratégias de guerra. A safira que a garota carrega no meu peito, tem um grande significado nessa história. Uma coisa que achei bem legal é que Kelsea ama ler, e um dos livros citados é Harry Potter! Eu fiquei de queixo caído com a referência (kkkk). A propósito, a história vai ser adaptada para as telonas e quem vai interpretar nossa incrível Kelsea será nada mais nada mesmo que Emma Watson!


Recomendo muito a leitura, é um livro que você vai ficar bem entretido e curioso para chegar até o final. Eu demorei um pouco para ler, eu achei a narrativa um pouco lenta, mas depois me acostumei. Para quem gosta de histórias que envolvam reis e rainhas, brigas pelo poder e políticas de guerra, esse livro é um prato cheio.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...