Resenha: O sol é para todos Resenha: Em algum lugar nas estrelas Resenha: Laços

Resenha: Garoto encontra Garoto

Título: Garoto encontra Garoto

Autor: David Levithan

Editora: Galera Record

Ano de publicação: 2014

Páginas: 240

ISBN: 9788501047779

Nota: 05/05

 “As vezes a distância entre saber o que fazer e realmente fazer é uma caminhada bem curta”

Eu não tinha muita ideia do que encontrar nesse livro, apesar de saber que era um livro LGBT por conta do título. Eu já tinha lido outro livro que o autor escreveu junto com o John Green chamado Will&Will que também trata o tema LGBT.


Confesso que fiquei bem surpresa com a forma que o autor conduziu a história. Foi uma leitura tão leve e gostosa que me deixava até mais animada para ler. Gosto de livros que os autores não forcem a barra criando situações sem sentido, e isso foi uma coisa que não encontrei nesse livro.

Vamos conhecer o Paul um garoto assumidamente gay. Desde criança ele se entende dessa forma, o que para muitas pessoas é uma coisa maravilhosa, pois Paul nunca teve dúvida do que realmente era.

O que eu achei mais incrível nessa história é a aceitação. Cada um respeita a escolha sexual do outro e existem até grupos em defesa da causa LGBT onde gays e héteros estão juntos na luta pela igualdade.

Uma das personagens que achei mais engraçadas foi Infinite Darlene. Ela é a quaterback do time da escola de Paul além de ser uma drag queen. Se eu fiquei impressionada com isso? Tem muito mais nessa história, nem as líderes de torcida são iguais as comuns que encontramos por ai. Elas andam de moto e são bem mais descoladas do que aquelas patricinhas que normalmente encontramos como líderes de torcida.

Além de toda essa diversidade, vamos presenciar a paixão de Paul por Noah. Os dois se conheceram por um acaso, mas Paul não consegue esquecer o garoto e não vai sossegar até encontra-lo novamente. Achei o Paul muito determinado, gosto de personagens assim. Sempre que ele queria algo, ele corria atrás, lógico como todo adolescente, Paul também tinha suas crises e sempre contava com Tony seu melhor amigo e também gay. Mas ao contrário de Paul, seu melhor amigo enfrentava muitos problemas com os pais, que eram religiosos e não aceitavam que seu filho fosse gay.

Acho que um dos melhores momentos do livro foi quando Paul e Tony mostram o quanto são amigos e o quanto estão dispostos a ajudar um ao outro.

A escola de Paul para mim é um modelo de mundo ideal, onde ao invés das pessoas só criticarem as escolhas dos outros, as pessoas simplesmente aceitam e lutam juntas por igualdade.


Gostei demais desse livro, recomendo para quem gosta de histórias leves e rápidas de ler. O final me agradou bastante e acredito que, se o mundo todo fosse igual ao que encontramos nesse livro, todos nós seriamos muito mais felizes.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...